domingo, 18 de junho de 2017

LEITURAS DO MÊS: Abril e maio 2017


Olá. Vim trazer as minhas leituras dos meses de abril e maio. Em abril li apenas um livro e que foi um dos melhores do ano. Em maio consegui encaixar três livros, e aí teve favorito, leitura divertida e uma nem tão boa assim. Como ultimamente não estou escrevendo resenhas completas, abaixo você confere minha opinião sobre minhas últimas leituras:


O SOL É PARA TODOS | Harper Lee | José Olympio | Nota 5/5 + 

"Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça.
O sol é para todos, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações." - Skoob

Eu li O Sol é Para Todos em abril. Ele foi minha única leitura desse mês. E foi maravilhoso. Só que como abril foi o mês de provas na faculdade, eu li o livro aos pouquinhos. Um capítulo antes de dormir, mais alguns no fim de semana. O mais incrível foi que sempre que eu retomava a leitura, e uma vez foi depois de uma semana sem pegar ele para ler, eu conseguia me conectar facilmente com a história, a escrita e os personagens. Eu me envolvia, mergulhava na história como se nunca tivesse parado.

Eu amei, amei, amei o livro. Depois que assisti a adaptação (e amei muito!) quis ler o livro. Como faz um tempinho que li (e queria muito ter feito um post só para ele), já esqueci algumas primeiras impressões que tive ao virar a última página do livro. Um detalhe que eu lembro que queria abordar na resenha é que no livro conhecemos personagens que não aparecem no filme. Por exemplo, os tios das crianças, tia Alexandra e tio Jack. E também conheci mais da srta. Maudie e da sra. Dubose, além de alguns acontecimentos que não foram colocados na adaptação.

Racismo, preconceito entre classes sociais, assuntos vistos pelos olhos de uma menina, com toda sua inocência e opinião forte. Os diálogos, pensamentos e questões levantadas por Scout. Cada capítulo era um tapa na cara por causa de algo que Scout tenha dito, feito ou perguntado. Tudo o que ela aprende com Atticus, as aventuras com Jem e Dill.

Sei da existência de Vá, Coloque Um Vigia, mas eu já li alguns comentários positivos e negativos sobre a continuação, e depois de descobrir certos acontecimentos, decidi que não vou ler. Prefiro ficar com a sensação maravilhosa de quando terminei O Sol é Para Todos.

Enfim, eu tinha tanta coisa para escrever sobre esse livro na época em que terminei. Mas o importante é que eu li e que ele virou um dos meus livros favoritos da vida. Scout é uma protagonista para guardar no coração. E a capa do livro também, que é linda demais.


UNIVERSOS AFINS | Rainbow Rowell | Novo Século | Nota 5/5 + 

"Estar numa fila não é uma situação das mais agradáveis. Porém, para a jovem Elena, acampar na frente do cinema só para acompanhar a estreia do mais novo Star Wars é nada menos que uma grande jornada. O problema é que em dias de internet (e compras de ingressos on-line), essa vibe de fila não é compartilhada por muitos outros fãs. Ao chegar ao cinema, dias antes da estreia, só há mais duas pessoas ali acampadas: Gabe e Troy, que entendem a fila como um ritual obrigatório para tornar aquela experiência algo realmente memorável. Universos afins é um saboroso conto geek sobre expectativas e sobre compartilhar paixões. Rainbow Rowell mais uma vez apresenta uma obra inocente e engraçada, com aquela pontinha de nostalgia que nos deixa com um nó na garganta, como há muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante." - Skoob

Com uma escrita fluida e envolvente, a leitura de Universos Afins foi fácil, pois foi uma história gostosinha, divertida e com ótimos diálogos.

O final é demais e me fez querer mais páginas para eu continuar na companhia de Elena, Gabe e Troy. A história é fofa e geek, e conta sobre a paixão de três pessoas por Star Wars. E como eu gostaria de ter na vida real os diálogos dos personagens.


LIGAÇÕES | Rainbow Rowell | Novo Século | 4/5

"Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.
Talvez sempre esteve em segundo plano.
Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.
Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.
Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?
Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?" - Skoob

Ligações foi um livro divertido. Os diálogos, situações e pensamentos da Georgie foram muito engraçados. A ideia do telefone foi incrível. Eu gosto muito da escrita da autora, e acho que só agora percebi isso, mesmo depois da leitura de Universos Afins. Na metade do livro eu achei a trama um pouco cansativa, repetitiva talvez, mas gostei dos últimos capítulos. 

Acredito que minhas cenas favoritas foram as de quando Georgie lembrava do passado, de quando conheceu Neal, das conversas entre eles, do casamento, de quando falava sobre o início da vida de casados, das filhas. O humor foi algo que me marcou, e achei a leitura uma experiência muito boa, notando que gosto mais quando a autora escreve sobre a vida de pessoas adultas e seus problemas. Ah, e o trabalho gráfico do livro está lindíssimo.


O FUTURO DE NÓS DOIS | Jay Asher & Carolyn Mackler | Galera Record | Nota 3/5

"É 1996, e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio nos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-ROM da America Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a quinze anos. Todos se perguntam como será o futuro. Josh e Emma estão prestes a descobrir..." - Skoob

Eu esperava mais desse livro. Não me apeguei a nenhum personagem, não consegui me importar com eles. No máximo gostei da Kellan, amiga da Emma, que tinha opiniões bem legais.

Os capítulos são bem curtos, então a leitura foi fluida, porém não foi envolvente. Eu estava lendo para chegar ao fim, para saber o que aconteceria no último capítulo.

Faltando alguns capítulos para acabar, eu fiquei curiosa para saber o rumo final, o que estaria naquelas últimas páginas. Mesmo assim achei a história uma fórmula clichê adolescente, apesar de a premissa ser bem interessante, me fazendo começar a leitura com algumas expectativas. Comparei alguns momentos com o livro De Repente Acontece, que eu não gosto nenhum pouco. E como a história se passa em 1996, lembrei muito de O tempo entre nós, e fiquei pensando que Emma e Anna tem o gosto pela corrida em comum, e Josh e Bennett gostam de andar de skate.

Um detalhe que prendeu minha atenção foi que Emma descobre algo que vai acontecer no futuro com uma pessoa, e como é algo sério, ela tenta evitar no presente. E é claro que o livro passa uma mensagem muito bacana: fala sobre vivermos o agora, sobre nos desconectarmos e olharmos ao redor, para o que realmente importa, para as pessoas que amamos e que nos ama (mas fiquei pensando que muitas vezes é pelas redes sociais que as pessoas se encontram, reencontram e se aproximam). Então a nota 3 que eu dei para O Futuro de Nós Dois foi por causa da escrita leve e fluida, da Kellan e de algo que Emma descobre sobre o futuro.

Abraços e até a próxima!

sexta-feira, 16 de junho de 2017

UM PRECIOSO, UM AUTÓGRAFO E UMA MÁSCARA DE DORMIR | Unboxing #23


Como é que se faz isso mesmo?
Olá!!! Faz mais de um mês que eu não posto aqui no blog. Lembro disso todos os dias e me sinto péssima por isso. Em maio não dei nenhum sinal de vida, a não ser quando eu trocava a imagem do livro que estava lendo, sendo as únicas atualizações que eu fazia. A faculdade me consumiu (ainda está me consumindo, mas falta pouco pra acabar esse semestre!) e eu não estava animada para trazer conteúdo para o blog. Continuei lendo, mesmo que pouco, e fotografei alguma coisa para postar no blog quando tivesse mais tempo. Tô com várias postagens atrasadas, mas quero muito colocar tudo em ordem alguma hora.

Bom, mas aqui estou eu com um unboxing, o vigésimo terceiro, mesmo já tendo perdido o jeito de fazer um. Essa caixinha linda da Saraiva chegou dia 31 de maio. Demorou mas valeu muito a pena. Confira os livros, que em um book haul futuro mostro melhor:


O LAGO DAS SANGUESSUGAS de Lemony Snicket: Garanti o terceiro volume de Desventuras em Série, e agora posso continuar (depois de ler os livros, claro) a série de TV, pois tenho também o volume quatro.

SOMOS TODOS EXTRAORDINÁRIAS de R. J. Palacio: Essa versão ilustrada para as crianças da história de Extraordinário (mas eu comprei mesmo assim!) está incrível. Eu já dei uma folheada e também li trechos da narrativa e está a coisa mais linda.

QUANDO A NOITE CAI de Carina Rissi: No momento tô lendo esse livro lindo e autografado (e usando a máscara de dormir!). Tá divertido e também muito misterioso.


O MORRO DAS ILUSÕES de Zibia Gasparetto: A próxima leitura da minha mãe. Ela está terminando de ler Encontrada...

BOX COLEÇÃO AGATHA CHRISTIE 2 (A MANSÃO HOLLOW, OS ELEFANTES NÃO ESQUECEM e MORTE NA MESOPOTÂMIA): Minha irmã continua na missão de conseguir os boxes (de ótima qualidade!) da rainha do crime.


Abraços e até a próxima com mais postagens atrasadas!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Playlist | Escutei em fevereiro, março e abril


Olá. A sumida aqui voltou com uma playlist bem recheada. São músicas que conheci e escutei muito em fevereiro, março e abril. Decidi reunir todas em um post só: Assisti La La Land e me apaixonei pelo filme e as canções, mas antes por City of Stars, assisti a série de TV 13 Reasons Why, amei e gostei muito de duas canções da trilha sonora, as meninas da duo Anavitória divulgaram músicas novas e maravilhosas, e mais outras coisas. Confira:

Barquinho de Papel | Anavitória


City of Stars | Ryan Gosling e Emma Stone (La La Land)


Epilogue | La La Land


Mia & Sebastian's Theme (Late For The Date) | La La Land

 

Audition (The Fools Who Dream) | Emma Stone (La La Land)


City of Stars (Long Version) | Ryan Gosling e Emma Stone (La La Land)


Only You | Selena Gomez


The Night We Met | Lord Huron


It Ain't Me | Kygo, Selena Gomez


Fica | Anavitória ft. Matheus & Kauan

 

Stay | Zedd, Alessia Cara


Aos nossos filhos | Elenco da série "Os Dias Eram Assim" (confira aqui o vídeo com o elenco cantando)


Fonte das imagens da montagem:
La La Land | fonte
13 Reasons Why | fonte
Lord Huron | fonte
Anavitória | fonte

Abraços e até a próxima!

sábado, 15 de abril de 2017

LEITURAS DO MÊS: Março 2017


Olá. Em março eu passei pela minha primeira ressaca literária. Li três livros, e durante três dias não consegui pegar outro para ler, e o motivo não foi porque o último livro lido foi incrível a ponto de outro não poder superá-lo. Fiquei pensando que qualquer livro que eu escolhesse não me agradaria, e eu não queria que isso acontecesse, pois sabia que seriam ótimos se eu os lesse em outro momento.

Então peguei um livrinho que tinha comprado no mesmo mês e comecei a leitura. Digamos que esse livro me salvou. Confira minha opinião sobre as minhas leituras de março:


À PROCURA DE AUDREY | Sophie Kinsella | Galera Record | Nota 5/5

"Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor." - Skoob

Apesar de apresentar um assunto que vi poucas vezes em livros, e de fato ser algo sério, a escrita da autora é leve e fluida, a história é gostosa de acompanhar e o humor é incrível.

Me identifiquei várias vezes com a Audrey. Essa parte do contato com as pessoas, do contato visual, de estar sempre fantasiando sobre o que as pessoas ao redor estão pensando de mim ou da situação, remoendo algo ruim.

Eu só não favoritei o livro, porque queria muito saber o que aconteceu com a Audrey na escola, mesmo com ela própria não querendo relembrar dos fatos e contar ao leitor.

Apesar de muitas vezes não focar na Audrey, e sim na mãe e no irmão mais velho dela, e eu sentir que a protagonista se tornou um plano de fundo em certos momentos, eu amei tudo. A família Turner é encantadora, mesmo com todas as implicâncias e brigas. Anne, Chris, Frank, Felix, Audrey e Linus. Amei todos.


TUDO E TODAS AS COISAS | Nicola Yoon | Novo Conceito | Nota 5/5 + 

"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre." - Skoob

A leitura de Tudo e Todas as Coisas foi rápida e envolvente. A escrita da Nicola Yoon é fluida e o fato de eu criar várias teorias para o final, me fez ler sem querer parar.

Os capítulos são bem curtos, às vezes de uma página e até mesmo com uma única frase ou ilustrações. A forma como o livro é apresentado foi incrível e encantador.

A história é fofa, curiosa, instigante, romântica, com uma dose de humor leve e referências de livros e filmes.

Eu amei Maddy e Olly. Nem sei o que dizer além disso, mas gostei muito das primeiras experiências dos dois, dos pensamentos da Maddy sobre Olly e sobre tudo, do desejo dela de conhecer o mundo, o oceano, as sensações. A forma como a história é narrada muitas vezes é poética.

Fiquei tensa nos últimos capítulos, querendo muito saber como a autora finalizaria a história, mas querendo mais Maddy e Olly, mais conversas e momentos fofos e divertidos.

Eu gostei do final (fui lendo e no final abri um sorriso enorme) e meio que acertei uma das minhas teorias sobre um certo assunto. Mas eu queria mais. Queria também outros finais, diferentes versões, apesar de eu ter gostado do jeito que foi.


AUSTENLÂNDIA | Shannon Hale | Record | Nota 5/5 + 

"Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD.

Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e... a companhia de belos cavalheiros." - Skoob

Austenlândia foi uma leitura divertida, mas não a ponto de eu rir loucamente em público. Foi uma história gostosinha de ler. A escrita é fluida, e em pouco tempo eu mergulhei no enredo, lendo facilmente capítulo atrás de capítulo.

Pude observar que a adaptação é bem fiel ao livro, com apenas algumas mudanças. Fiquei muito feliz ao me dar conta de que havia amado o livro assim como amo o filme.

Estar com Jane nessa viagem, nessa aventura pessoal no século XIX, poder conhecer seus conflitos internos, a mulher e fã que ela é, me proporcionou horas de diversão e romance.


A SALA DOS RÉPTEIS | Lemony Snicket | Desventuras em Série #2 | Seguinte | Nota 5/5 + 

"Lemony Snicket é um autor que não pode ser acusado de falta de franqueza. Sabe que nem todo mundo suporta as tristezas que ele conta e por isso - para que depois ninguém reclame - faz questão de avisar: 'Se você esperava encontrar uma história tranquila e alegre, lamento dizer que escolheu o livro errado. A história pode parecer animadora no início, quando os meninos Baudelaire passam o tempo em companhia de alguns répteis interessantes e de um tio alto-astral, mas não se deixem enganar...'

Os Baudelaire têm mesmo uma incrível má sorte, mas pode-se afirmar que a vida deles seria bem mais fácil se não tivessem de enfrentar o tempo todo as armadilhas de seu arqui-inimigo: o conde Olaf, um homem revoltante, gosmento e pérfido. Em 'Mau Começo' ele deu uma pequena amostra do que é capaz de fazer para infernizar a vida de Violet, Klaus e Sunny Baudelaire - e aqui as coisas só pioram." - Skoob

Esse é o livro que me salvou da ressaca literária. Eu li o primeiro livro da série, Mau Começo, em 2015 (e amei muito), mas nunca resenhei ele, porque queria escrever sobre a minha experiência com a série em um post só. Bom, no momento estou tentando conseguir os livros em sebos ou promoções na internet, e acabei de ler o segundo volume (que foi adquirido desesperadamente em uma livraria por 28,00 reais). Agora que estou assistindo a série de TV, estou lendo os livros aos poucos, pois dois episódios equivalem a um livro e na primeira temporada há 8 episódios, ou seja, adaptação de 4 livros.

A história de A Sala dos Répteis é muito bem contada e genial. Foi impossível não querer ler um capítulo atrás do outro, pois foi muito instigante e eu queria descobrir certas coisas, saber como tudo se desenrolaria.

Conde Olaf é um dos vilões mais cruéis que eu já conheci, mas também um personagem muito bem pensado. Violet, Klaus e Sunny são irmãos unidos e muito inteligentes.


UMA HISTÓRIA DE NOTÁVEIS CAÇADORES DE SOMBRAS E SERES DO SUBMUNDO CONTADA NA LINGUAGEM DAS FLORES | Cassandra Clare e Cassandra Jean | Galera Record | Nota 5/5 + 

"Em Uma história de notáveis Caçadores de Sombras e seres do Submundo contada na linguagem das flores, Cassandra Jean mergulha nos personagens criados por Cassandra Clare nas séries Os Instrumentos Mortais, As Peças Infernais e Os Artifícios das Trevas, reunindo características e ficha técnica de nomes como Jace Wayland, Magnus Bane e Tessa Grey. Comparando cada um deles a uma flor, e com belas ilustrações, ela cria um guia para os amantes dessas histórias... e para os que desejam começar a conhecê-las." - Skoob

O livro traz ilustrações belíssimas, informações e características dos personagens, além de ter uma capa lindíssima. Coloquei um post-it nos meus personagens e ilustrações favoritas. O livro é todo maravilhoso e uma leitura repleta de sentimentos para quem ama o mundo dos Caçadores de Sombras. 


DIVERGENTE - GUIA DA INICIAÇÃO | Cecilia Bernard | Prumo | Nota 5/5

"Leitura obrigatória para os fãs da série Divergente, o Guia da iniciação é um compêndio das facções criadas por Veronica Roth em sua trilogia de sucesso. O livro traz tudo sobre a Audácia, a Erudição, a Amizade, a Franqueza, a Abnegação e seus líderes, e apresenta também o perfil dos iniciandos Tris, Caleb, Molly, Christina, Peter, Al e os outros. Um verdadeiro passaporte para a Chicago distópica da série que leva o leitor a acompanhar a jornada dos personagens desde o teste de aptidão ao dia da Cerimônia de Escolha, passando pelos rigores do treinamento no complexo da facção Audácia." - Skoob

Essa foi uma leitura interessante. Nada muito uau, porém traz algumas informações que eu desconhecia. É recheado de fotos, características e detalhes do primeiro filme da trilogia Divergente.

Abraços e até a próxima!